Blog Copagaz
24 de setembro de 2019
Categoria:
Comentários (9)

Quero montar uma cervejaria artesanal. Quais os primeiros passos?

A bebida mais consumida no país – a cerveja! – deixou de ser apenas refrescante e ganhou qualificação gastronômica, ampliando as oportunidades de negócios. Não à toa, inúmeros apreciados têm levado a degustação para um lado mais profissional e investido na fabricação. Mas o que é preciso para montar uma cervejaria artesanal e começar a ganhar dinheiro? É o que vamos te mostrar no post de hoje! Preparado? Então, vamos lá!

O mercado cervejeiro no Brasil

Terceiro maior produtor de cerveja artesanal do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e da China, o Brasil movimenta uma indústria que fatura bilhões por ano.

De acordo com a Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), há dez anos, o país registrava cerca de 70 cervejarias e o consumidor só encontrava marcas populares de cervejas nos mercados. Hoje, há quase 900 cervejarias artesanais espalhadas pelos quatro cantos do Brasil, propagando novos sabores e aromas.

Apesar de o mercado ainda ser dominado por grandes grupos cervejeiros, estudos revelam que um dos principais motivos para o aumento da demanda por cervejas artesanais é o seu sabor diferenciado. Há uma grande onda de “gourmetização” do consumo da bebida que é preferência nacional.

O primeiro passo

Sim, o mercado de cervejarias artesanais é empolgante e tem um potencial incrível! Mas, como todo negócio, requer dedicação. Então, o primeiro passo que todo mestre cervejeiro precisa dar é pesquisar – pesquisar, e muito! A empolgação e os pedidos dos amigos para produzir aquela cerveja especial que todos amam não bastam. Por isso, prepare-se para dedicar boa parte de seu tempo à leitura!

Para você ter uma ideia, para investir de forma assertiva no mercado cervejeiro – seja em uma micro, média ou grande cervejaria –, é necessário conhecer diferentes vertentes desse mercado, bem como tudo que se envolve a ele de certa forma. Veja está pequena lista de pontos que você precisa estar por dentro antes de tomar qualquer decisão:

  • Mercado
  • Inovação
  • Pesquisa de mercado e formulação
  • Planejamento estratégico
  • Comunicação
  • Layout de cervejaria
  • Dimensionamento de produção
  • Compras
  • Distribuição
  • Aspectos legais
  • Aspectos tributários
  • Licenças
  • Custos e precificação
  • Gestão comercial
  • Gestão financeira
  • Investimentos
  • Financiamento

Bastante coisa, não é mesmo?! Mas um bom negócio não surge do dia para a noite! Portanto, comece já a formatar todas essas ideias!

Apoio especializado

Contar com auxílio de quem entende de negócios pode fazer uma grande diferença na hora de montar uma cervejaria artesanal. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), além de oferecer assistência personalizada em seus postos, traz no seu portal na Internet, na seção de “Ideias de Negócios”, uma seção especialmente voltada às microcervejarias.

Nela, você encontra um material completíssimo, que inclui informações sobre as instalações, os equipamentos, a organização do processo produtivo, os custos, o planejamento financeiro, entre outras. O Instituto da Cerveja, assim como o Sebrae, também é uma fonte indispensável para quem pretende montar um plano de negócio no ramo.

Outra boa opção na hora de abrir o seu próprio negócio no ramo cervejeiro é procurar por uma incubadora. As incubadoras auxiliam no consórcio de equipamentos e instalação para impulsionar o mercado e estabelecer pequenas fábricas caseiras. Há também quem contrate um mestre cervejeiro e adapte o local onde será instalada a fábrica de acordo com as leis de higiene e produção.

Segurança e qualidade nos processos

Outra questão que não pode ser deixada de lado diz respeito à segurança e qualidade nos processos de fabricação de cerveja. E isso envolve a escolha de equipamentos, matérias-primas e fonte energética seguros e de qualidade. Aliás, até mesmo a água utilizada no processo faz diferença no resultado de fabricação da cerveja.

Por isso, conte com o GLP da Copagaz – o aliado perfeito na fabricação de cervejas artesanais. O alto poder calorífico do gás e a possibilidade de controle de temperatura tornam o GLP o energético mais indicado para o processo de brassagem (ou maceração), etapa de extrema importância que requer atenção máxima com a temperatura da água.

Lembre-se: para entrar no segmento de cervejaria artesanal e fazer o negócio dar certo é preciso ir além da paixão pelo produto! Tenha paciência e perseverança – além de energia, claro! Leve o tempo que precisar, mature as ideias, estude, analise o mercado, avalie os riscos. Assim, seu sucesso será garantido!

Se você já fábrica cervejas em casa e quer abrir a sua própria cervejaria, acompanhe os próximos artigos sobre o mercado cervejeiro aqui no blog e, claro, conte com o gás da Copagaz!