Blog Copagaz
15 de agosto de 2018
Categoria:
Comentários (0)

Copagaz auxilia pizzarias na migração para forno a gás

Empreender em uma pizzaria exige a adoção de medidas que tornem o estabelecimento competitivo, seguro e confiável. Optar pelo forno a gás em pizzarias, em vez do tradicional forno a lenha, tem se tornado uma tendência entre os empresários do setor, tanto na hora de abrir o empreendimento ou de dar uma alavancada nos negócios. A Copagaz auxilia os empresários em ambos os casos, com a instalação de um sistema de GLP a partir do zero ou com o projeto de migração do forno a lenha para o forno a gás. Sem complicação ou demora. E com as adequações às normas técnicas de segurança previstas pela legislação.

De acordo com Vicente Longatti, Gerente Nacional Comercial Empresarial da Copagaz, a companhia concede consultoria para os estabelecimentos interessados em migrar para o GLP em todas as etapas do processo de substituição da lenha pelo gás, além de efetuar a instalação da central de GLP. “Nos responsabilizamos pela parte de tubulação, a instalação dos tanques de gás, os materiais e a mão de obra”, diz. “Tudo fica por conta da Copagaz, e os tanques são cedidos em regime de comodato”, acrescenta.

Os clientes que desejam modernizar os fornos de suas pizzarias também recebem orientação técnica da Copagaz de como e onde adquirir os melhores produtos de acordo com as necessidades do estabelecimento. “Pizzarias grandes ou deliveries, que precisam de velocidade na produção, podem se beneficiar com fornos a gás de esteira, que podem ser até mesmo empilhando, com ganho de espaço e layout”, exemplifica Longatti.

Instalação

Um novo sistema de gás pode ser instalado em uma pizzaria no prazo máximo de 15 dias, contando os períodos de negociação comercial, levantamento técnico e instalação. A Copagaz faz o levantamento de todo material e peças necessários e envia tudo para a obra. A equipe especializada da companhia realiza todos os serviços nos melhores horários para o cliente, sem interferir nos horários ou no processo de produção do estabelecimento.

Todos os equipamentos e instalações seguem as normas técnicas. O engenheiro emite a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), o projeto básico da central de gás ou a Planta de Situação, para serem apresentados aos órgãos reguladores, como o Corpo de Bombeiros, quando necessário. O proprietário ainda recebe dicas de uso e manuseio da central de gás.

“Nossos técnicos orientam as pessoas que terão acesso à central de gás e explicam como operá-la. Nada muito complicado, apenas como abrir e fechar as válvulas de abertura e fechamento do gás sempre que ele não estiver sendo utilizado ou quando houver alguma suspeita de vazamento”, informa Longatti.

Assistências técnicas

Não importa se é dia ou noite, a Copagaz tem equipes disponíveis 24 horas, 365 dias do ano, para o abastecimento a granel e para fornecer assistência técnica corretiva. “Trabalhamos também em horários alternativos, à noite, nos fins de semana. A Copagaz tem caminhões-tanque de abastecimento a granel circulando em horários estendidos para atender especialmente os clientes comerciais”, assegura o gerente.

Além da assistência corretiva, o cliente Copagaz também conta com a assistência preventiva anual. A cada ano, sem a necessidade de agendamento prévio, um técnico devidamente identificado visita o estabelecimento para verificar a integridade e o funcionamento das instalações. Uma garantia de qualidade e segurança no abastecimento.

Você está pensando em migrar para o sistema a gás em seu estabelecimento comercial? Tem alguma dúvida? Entre em contato com a gente. Teremos o prazer em auxiliá-lo.