Blog Copagaz
16 de julho de 2018
Categoria:
Comentários (7)

Forno a gás em pizzarias: mais agilidade e produtividade

Optar pelo forno a gás em pizzarias, em vez do tradicional forno a lenha, tem se tornado uma tendência entre os empresários do setor. O uso do GLP nos fornos proporciona uma série de benefícios, que vão desde conferir mais agilidade e praticidade à produção até aumentar a produtividade e reduzir a emissão de poluentes. Uma medida simples, moderna e segura que contribui também para tornar os estabelecimentos comerciais mais competitivos e eficientes. Confira a seguir como essas vantagens geram eficácia e economia:

Controle da temperatura

O ajuste da temperatura do forno a gás é feito por meio de um controlador que aumenta ou diminui a potência do queimador, garantindo maior precisão e segurança. Isso permite um aquecimento controlado e padronizado do forno, que passa a assar com maior rapidez e uniformidade. Consequentemente, o intervalo entre uma fornada e outra é reduzido, o que eleva a capacidade de produção em até 30%. Sem atrasos de pedidos, com massas assadas por igual e no tempo certo!

Por outro lado, esse controle não é nada preciso quando se trata do forno a lenha. É necessário que um profissional qualificado mantenha a temperatura ideal durante toda a queima. E isso é difícil de medir ou mesmo manter! Um simples descuido pode comprometer a qualidade de uma fornada, atravancar os pedidos e todo o processo.

Otimização do tempo

Perder tempo é perder dinheiro. O forno a lenha exige uma preparação com horas de antecedência à abertura do estabelecimento. Além de uma limpeza mais pesada para remover os resíduos, ele demora cerca de duas horas para que a lenha entre em combustão adequadamente e atinja a temperatura ideal. Já com o forno a gás, basta apertar um botão, ajustar a potência e pronto. E bastam apenas 30 minutos de pré-aquecimento. Além disso, o equipamento fica muito mais limpo e a limpeza é mais prática e rápida. A facilidade de ligar e desligar, assim como a de elevar ou reduzir a temperatura conforme a necessidade ou a entrada de pedidos, são detalhes que realmente fazem a diferença.

Espaço e manuseio

A lenha ocupa um terço do espaço do forno, enquanto o sistema a gás precisa apenas de um queimador de cerca de dez centímetros. Isso significa mais espaço livre para assar um maior número de pizzas ao mesmo tempo. Além disso, a lenha exige mais cuidado com o manuseio das massas dentro do forno, assim como reabastecimento frequente. É ficar carregando peso para lá e para cá o expediente inteiro!

Armazenamento

A madeira é um tipo de insumo que necessita de um amplo espaço para ser estocado, de preferência, bem longe da umidade. Já os tanques de gás não ocupam tanto espaço, além de sujar menos o local de armazenamento, evitando possíveis visitas indesejadas de animais atraídos pela lenha, como insetos e ratos.

Combustível sustentável

A queima da lenha dentro do forno acumula cinza e fuligem, além de liberar uma fumaça prejudicial à saúde dos funcionários e ao meio ambiente. Outro ponto que todo empresário precisa considerar é o filtro de fumaça, exigido por lei, que acrescenta custos extras e exige cuidados ainda mais trabalhosos.

Legislação

O licenciamento do estabelecimento junto à prefeitura de algumas cidades torna-se mais complexo quando o empresário opta por instalar o forno a lenha. As exigências são mais criteriosas devido às emissões atmosféricas geradas pelo forno a lenha, como fuligem e fumaça e até mesmo cheiro. São vários detalhes adicionais que o empresário precisa seguir. Por outro lado, optar pelo forno a gás em pizzarias poupa algumas burocracias.

Case de sucesso

O empresário Adriano Silvério, proprietário da Adrix Pizzaria, de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, sentiu de imediato as vantagens do GLP assim que ele efetuou a troca da lenha pelo gás em seu estabelecimento. A mudança começou em 2009 e, no ano seguinte, a pizzaria já contabilizava uma venda de 1.000 unidades a mais por semana.

Com o sistema a gás, Adriano alcançou a possibilidade de controlar a temperatura dos fornos, que passaram a assar de forma rápida, diminuindo o intervalo entre uma fornada e outra. Com isso, a sua produção passou para o  nível industrial de 400 pizzas por hora. Hoje, a Adrix produz cerca de 265 mil pizzas por ano, uma quantia 40% superior aquela produzida nos tempos do forno a lenha.

 

Comparativo gás x lenha

Ainda tem dúvidas em relação ao uso de fornos a gás em pizzarias? Fale conosco.