Blog Copagaz
14 de novembro de 2018
Categoria:
Comentários (0)

Como calcular o preço de venda de uma pizza?

Um fator primordial para a saúde financeira da sua pizzaria é a correta formação do preço do seu produto. Ou seja, saber exatamente qual o custo para produzir a sua pizza é a base para definir o seu valor de venda, proporcionando rentabilidade e, claro, competitividade. Esse valor deve ser suficiente para cobrir todos os custos e obter uma margem de lucro viável. Precificar de forma errada pode significar prejuízo e até mesmo fracasso total do seu negócio. Acompanhe algumas dicas de como calcular o preço de venda de uma pizza e não corra mais o risco de errar. Vamos lá?

O custo de cada produto

O primeiro passo para descobrir o preço ideal do seu produto é criar uma ficha técnica para cada sabor de pizza que você deseja produzir, listando todos os ingredientes que entram na produção da massa, do molho e do recheio. Dessa forma, você consegue determinar o preço de cada item que entra na composição de uma redonda – seja ela brotinho, média, grande ou gigante.

Aliás, fique por dentro dos sabores de pizzas mais vendidos e tenha uma ideia dos produtos que terão mais saída no dia a dia da sua pizzaria. Assim, você mantém todos os ingredientes mais demandados disponíveis no seu estoque e não deixa seus clientes na mão.

No caso de uma pizza de muçarela grande, por exemplo, você incluirá os preços de 350 gramas de massa, 60 gramas de molho, 350 gramas de muçarela, 70 gramas de tomate (5 fatias), 25 gramas de azeitonas (5 unidades). Já para uma pizza de quatro queijos, você estabelecerá os valores de 350 gramas de massa, 60 gramas de molho, 250 gramas de muçarela, 150 gramas de catupiry, 15 gramas de parmesão, 30 gramas de gorgonzola e 25 gramas de azeitonas (5 unidades).

A soma de todos os valores mostrará o custo de produção de cada unidade de pizza. Aliás, quando se tratar de uma pizzaria de atendimento delivery, você pode incluir o preço da embalagem nesse cálculo unitário.

Sim, realmente é um pouco trabalhoso chegar a esses montantes, mas é extremamente importante estabelecê-los. Portanto, não desanime! Em caso de dúvidas, busque o auxílio de um contador ou um consultor especializado no setor.

As despesas fixas

Agora vamos para uma fase um pouco mais tranquila, mas não menos importante: elencar todas as despesas fixas do seu estabelecimento. Entram aqui aqueles gastos mensais que você tem mesmo quando não abre a porta da sua pizzaria. Por exemplo: aluguel, telefone e internet, energia elétrica e gás, folha de pagamento de funcionários, contador, encargos administrativos e impostos.

Depois, basta somar todos os custos e dividir o valor resultante pelo número de pizzas vendidas em um mês. O montante obtido integrará o preço final da sua pizza.

Perceba que, com o aumento da produção, esse custo fixo acaba sendo diluído, reduzido, o que, de certa forma, impacta a lucratividade na outra ponta da conta.

O preço final da pizza

Bom, para obter a precificação exata da sua pizza, você precisa fazer uma continha bem esquisita para encontrar o Markup, um índice multiplicador aplicado sobre o custo de um produto para que se forme o preço final de venda, considerando a sua margem de lucro e o custo unitário da produção. Repare que é necessário ter as porcentagens de despesas variáveis e fixas – e isso você só consegue já tendo um balanço mensal.

A fórmula é a seguinte:

100 (% total de venda) / 100 (% total de venda) – [% despesa variável + % despesa fixa + % lucro presumido]

Com o Markup em mãos, agora é possível obter o preço de venda do seu produto. E para chegar a esse valor, basta multiplicar o preço do custo unitário de venda pelo índice:

Preço de venda = Custo de venda x Markup

 

Também existe uma fórmula mais simplificada, o Markup Divisor (MKD), própria para ser aplicada sobre cada produto, e que você pode usar facilmente. Aqui, você deve considerar seu Preço de Venda (PV) como 100% e o Custo Total de Venda (CTV) como a somatória de despesas e impostos ao seu percentual de lucro. Vejamos:

MKD = (PV – CTV) /100

 

Quer um exemplo simples (e fictício!) para entender melhor essa conta? Então, vem comigo!

– A sua despesa para a produção de uma pizza de muçarela é de R$ 5.

– As despesas fixas mensais da sua pizzaria são de R$ 10.000. Dividindo esse valor pelo número de pizzas que você vende em um mês (1.000), você chega ao custo de R$ 10 por unidade;

– Portanto, a soma dos custos fixos e variáveis de uma unidade de pizza de muçarela é R$ 15;

– A margem de lucro que você quer trabalhar é de 25%;

– A somatória das despesas e todos os impostos chega a 11%;

– Você aplica a fórmula para encontrar o índice multiplicador: 100 / 100 – (5 + 6 + 25) = 100 / 100 – 36 = 100 / 64 = 1,562

– Para obter o preço final, basta multiplicar R$ 15 por 1,562, que resulta em R$ 23,43.

– No caso do MKT, você terá: (100 – 36) / 100 = 0,64

– Para obter o preço final, basta dividir R$ 15 por 0,64, que resulta em R$ 23,43.

 

Ufa! Não é tão simples assim ser empresário, não é mesmo? Mas, com o preço da sua pizza calculado de forma correta assim, ficará muito mais fácil alcançar o sucesso! Ah, e se você está se perguntando sobre adotar ou não a cobrança pela média dos sabores ou pelo sabor de valor mais alto, fique ligado na concorrência. Se todos os seus concorrentes trabalham calculando a média, não dá para brigar pelo seu espaço cobrando o valor mais alto, certo?

Agora, conta para gente, você costuma precificar a sua pizza dessa forma ou utiliza alguma outra fórmula? E não esqueça: É gás? Copagaz.