Blog Copagaz
13 de dezembro de 2017
Categoria:
Comentários (0)

Carreira e descoberta de aptidão na Copagaz

Fazer parte do time Copagaz contribuiu para que a analista de Recursos Humanos Adriana Amorelli encontrasse sua verdadeira vocação: o contato humano e a atenção ao próximo. Ela afirma isso com toda a propriedade, depois de passar por três diferentes setores ao longo de seus 17 anos de trabalho na companhia.

A empreitada de Adriana dentro da Copagaz teve início em 2001, como assistente da área administrativa. Foram pouco mais de dois anos fazendo serviços gerais e dando suporte a todo o departamento. “Era um trabalho bastante dinâmico e de muita responsabilidade”, conta.

A rotina era intensa: ela cuidava da manutenção do escritório, fazia compras de materiais para a limpeza e lidava com serviços bancários e de cartórios. “Tinha vezes em que o telefone tocava e eu falava “Adriana” no automático, sem parar para levantar o telefone do gancho, como se eu pudesse atender a chamada por telepatia”, brinca a analista.

Então surgiu a oportunidade de trabalhar no departamento de Recursos Humanos, executando uma diversidade de tarefas, desde a gestão de benefícios e a organização de festas de confraternização até o suporte à assistência médica e o apoio às famílias em casos de falecimento.

Foi nesse momento que Adriana percebeu o que realmente gostava de fazer. “Eu me identifiquei”, revela. “Vi que gostava do contato com as pessoas, da relação desenvolvida com elas e do cuidado com as questões relacionadas ao ser humano”, revela.

Resultado: ela largou a faculdade de Psicologia e, com o auxílio de uma bolsa de estudo de 70% da Copagaz, decidiu fazer Administração de Empresas com ênfase em Recursos Humanos. O investimento foi certeiro e ajudou Adriana a dar um salto na carreira, passando de analista júnior para sênior.

Em 2010, Adriana se deparou com um novo desafio: uma vaga para trabalhar na área de logística. “Confesso que fiquei um pouco em dúvida. Pensei, pensei, e resolvi aceitar. Vi que era uma oportunidade para adquirir conhecimento, e conhecimento é tudo”, revela.

E lá se foram seis anos no setor. Nesse período, Adriana não ficou parada: fez uma pós-graduação em Logística, também com o auxílio da Copagaz, que bancou 50% dos custos. “Foi uma ajuda e tanto”, ressalta.

A experiência valeu a pena. Junto com o gestor da área e o setor de informática, Adriana desenvolveu o sistema de relatório chamado “mapa dinâmico de frete e entrega”, distribuído a todas as filiais e que facilitou a consolidação de informações e o trabalho da equipe.

Apesar de ficar um bom tempo na área de Logística, Adriana era conhecida por todos por ter trabalhado no setor de Recursos Humanos. “Não tinha jeito. Onde eu passava, o pessoal falava: ‘Lá vai a moça do RH’”, conta.

O bom relacionamento com todos era evidente. Tanto que ela recebeu um novo convite da gerência de Recursos Humanos em 2016 para retornar ao setor e mais uma vez Adriana pensou na proposta e percebeu que, voltando, teria mais oportunidades de aprender, estudar e crescer profissionalmente. “É a área com a qual, definitivamente, mais me identifico. Não tem jeito”, finaliza.

Assim, lá foi a moça do RH de volta para o RH. E lá está até hoje.